Blog do Quesada

Arquivo : julho 2013

Corinthians, campeão da Recopa Sulamericana
Comentários 27

Leandro Quesada

Para chegar ao titulo da Recopa, o Corinthians venceu duas vezes o tradicional adversário por 2 x 1 e 2 x 0. E nas duas partidas, o Timão foi melhor que o São Paulo, sem contestações, no Morumbi e no Pacaembu. “Poucos times conquistaram estes três títulos na sequência. O São Paulo de Telê é um deles. O Corinthians agora também“, vibrou Tite.

Tite se aproveitou da crise no Tricolor para comandar o Corinthians na conquista de outra taça internacional. No período de um ano e um mês, foram três conquistas: Libertadores, Mundial da Fifa e Recopa, todas inéditas na história do clube. “O Corinthians mereceu totalmente o resultado”, afirmou o técnico são-paulino Paulo Autuori.

Do lado do Tricolor, a crise depois aumentou de perder para o maior rival. A meta imediata é tentar se recuperar no Brasileirão. “Temos de enfrentar e ter uma solução para sair desta fase. Como não há tempo para treinar e a situação é difícil, então, vai ser na conversa. O desafio é meu”, completou Autuori.

O relacionamento ruim entre Rogério Ceni e Luis Fabiano foi desmentido por Autuori: “Posso garantir que não tem isso. É natural que se diga algo sobre o ambiente quando as coisas não estão boas”.

Eu tenho muita amizade com Rogério. É o cara com quem mais falo no elenco“, garantiu Luis Fabiano. Já Rogério Ceni disse “que Luis é um dos melhores amigos no futebol”. Será?

20130720-233032.jpg


Corinthians x São Paulo, o jogo para espantar crises
Comentários 4

Leandro Quesada

A crise ronda forte o Morumbi neste momento. O futebol nada convincente dos últimos tempos, a qualidade discutível de alguns jogadores, a troca de técnico, a eliminação na Libertadores e no Paulistão, a falta de títulos de torneios importantes, o comando do futebol centralizado em Juvenal Juvêncio, entre outros, deixam o ambiente carregado no Tricolor. A vitória e se possível a conquista do título devolvem a paz ao time para a seqüência do Brasileirão. A derrota, no entanto, pode aumentar as implicações políticas, já que a insatisfação aumenta a cada dia na casa sacro-santa, como diria JJ.

O resultado desta noite pode traçar o futuro do São Paulo e, claro, também do Corinthians. A crise não bateu ainda no Pq. São Jorge mas muitos entendem dentro do próprio clube que a perda do título pode agitar o ambiente no Timão. O título do Paulistão amenizou um pouco a queda na Libertadores mas não foi suficiente para recuperar, totalmente, a força do atual campeão mundial.

A crise muda de lado nesta noite ou segue onde está? A resposta começa a ser dada a partir das 22h no Pacaembu, na final da Recopa.

Brasileirão Corinthians e São Paulo fazem campanhas ruins no campeonato. Dos 21 pontos disputados até agora, o Timão conquistou nove e o Tricolor, oito.

20130717-170454.jpg

20130717-170438.jpg

20130717-170447.jpg
Lances do primeiro jogo vencido pelo Corinthians por 2 x 1


E depois, o futebol é que é sujo!
Comentários 25

Leandro Quesada

Ouço sempre que o futebol é o único antro de malandragem, esquemas de resultados, árbitros vendidos e jogadores também, doping. Metade disto pode ser verdade, mas a outra não, com certeza. No futebol tem muitas coisas boas, profissionais decentes, clubes sérios e dirigentes honestos. Como outros esportes também têm os dois lados.

Quando vejo o lutador Anderson Silva perder a luta como perdeu, quero acreditar na falta de respeito ao adversário, excesso de confiança, soberba e nunca no envolvimento no esquema para entregar a luta em troca de outros interesses e alguns milhares ou milhões de dólares.

Quando fico sabendo que Tyson Gay tomou uma “balinha” sem saber, eu acredito também que ele foi enganado.

Quem gosta de esporte como eu e você que está lendo este texto, não vê a maldade na disputa, no uso de substâncias ilícitas para melhorar o desempenho e nem na combinação de resultados.

Ben Johnson, Carl Lewis, Marion Jones, Florence Griffith-Joyner e Justin Gatlin eram atletas de ponta e nunca imaginaríamos que eles usariam substâncias proibidas para superar os recordes.

Recentemente, o ciclista Lance Armstrong manchou o esporte que pratica ao admitir o uso de doping.

Barry Bonds, astro do beisebol americano, sujou a carreira ao utilizar esteróides.

A equipe de levantamento de peso da Bulgária, o velocista grego Konstantinos Kenteris, a tenista suíça Martina Hingis, o tenista francês Richard Gasquet, o piloto tcheco Thomas Enge, a atleta brasileira Maurren Maggi e o jogador de vôlei Giba se envolveram em outros casos de doping.

O futebol não foge do contexto e já colecionou episódios famosos, como o do craque Maradona na Copa de 94, nos EUA, por uso de efedrina.

A enorme cobrança no esporte de alto rendimento leva alguns atletas, técnicos e equipes ao erro de usar doping para alcançar o sucesso e o reconhecimento. O esporte limpo dá lugar ao jogo sujo dos estimulantes, anabolizantes, narcóticos, hormônios e até manipulação genética. Vale tudo para ter sucesso sem levar em consideração a essência do esporte e da vida que é ‘uma mente sã em um corpo são’ do latim mens sana in corpore sano.
20130715-153307.jpg
Ben Johnson ‘supera’ Carl Lewis20130715-153410.jpg
Campeã olímpica Griffith-Joyner faleceu em 9820130715-153738.jpg
Maradona é pego no doping na Copa dos EUA

20130715-154322.jpg
Lance Armstrong sujou o nome do ciclismo


Duprat está proibido de pisar no Corinthians
Comentários 6

Leandro Quesada

Ao saber que o fundo de investimento inglês Doyen Sports, interessado em contratar parte dos direitos econômicos de Cleber, era representado pelo empresário Renato Duprat, o Corinthians ameaçou desistir do negócio.

As participações de Duprat em várias negociações à época em que o presidente do Corinthians era Alberto Dualib deixaram a atual diretoria em uma posição desconfortável. “Não podemos aceitar a presença dele na transação (Duprat)”, afirmou Roberto Andrade.

A Ponte Preta estava vendendo 60% dos direitos aos ingleses, representados por Duprat. O Corinthians ficaria com 20% e o jogador com outros 20%.

Agora a DIS (grupo de investimento) ficará com sessenta por cento dos direitos e assim o negócio será concluído”, garante o diretor de futebol.

Renato Duprat costurou a parceria entre Corinthians e a MSI em 2004. O grupo era comandado pelo iraniano Kia Joorabchian. Mais de 30 milhões de dólares foram investidos no futebol do clube, com contratações de impacto como Carlitos Tevez, Mascherano, Carlos Aberto, Roger e Nilmar, que levaram o Timão ao título do Brasileirão 2005.

Três anos depois, o contrato com duração de dez temporadas foi desfeito, provocou o impeachment de Dualib, virou caso de polícia, com denúncias de lavagem de dinheiro, crime de contrabando, formação de quadrilha e malversação das finanças do clube.

Os ex-presidente Alberto Dualib, o ex-vice Nesi Curi, o iraniano Kia Joorabchian, o magnata russo Boris Berezovsky e Renato Duprat foram os alvos da investigação.

Nos bastidores, os dirigentes afirmam que “querem ver o Diabo mas não o Duprat”.

20130714-200126.jpg
O empresário Renato Duprat

20130714-200239.jpg
Pressionado a deixar o clube na gestão Dualib


Maracanã sem o Flamengo não é o Maracanã!
Comentários 22

Leandro Quesada

Não importa as condições, os contratos, as tratativas, as reuniões ou os conchavos que estão em discussão no momento para definir o uso do “maior do mundo”.

A assunto aqui é a história do futebol. Flamengo e Maracanã formam o par perfeito. Um não pode viver sem o outro ou não deveria. Imagine se Nelson Rodrigues estivesse iniciando a carreira de cronista esportivo sem poder observar a relação do rubro-negro com o estádio. Imagine se Zico estivesse dando os primeiros passos no Mengo sem pisar no Maraca. Imagine o Maracanã distante do cotidiano deste gigante chamado Flamengo e vice-versa. Imagine!

É inimaginável não existir a parceria Flamengo-Maracanã. E repito que nenhuma explicação é suficiente para me convencer sobre a falta de acordo para o Flamengo atuar no estádio.

Me permita o trocadilho, Moraes Moreira, mas o torcedor flamenguista se pergunta: ‘♫ Agora como é que eu fico, nas tardes de domingo, sem o Fla, no Maracanã… ♪♪”20130712-160007.jpg
Zico comemora gol no velho Maracanã20130712-160046.jpg
A torcida flamenguista faz a festa

20130712-160222.jpg
O novo Maracanã espera o Fla


Robinho no Santos: “O sonho acabou”
Comentários 29

Leandro Quesada

O alto investimento que o Santos faria estava fora da realidade financeira do clube e talvez, da grande maioria dos times brasileiros.

Dizer que o Santos não tinha dinheiro para investir não é uma verdade mas ao mesmo tempo é certo que comprometeria as finanças nos próximos três anos. O presidente Odílio Rodrigues já tinha dado a dica: “Vamos fazer as contas, pegar o contrato de três anos e ver se é viável. A torcida deseja Robinho, Robinho deseja o Santos mas devemos avaliar os valores”.

Ninguém ou poucos consideram que Robinho não valia o investimento. Claro que vale no aspecto técnico mas no quesito ‘impacto de marketing’, o clube da Vila não teria como obter o retorno financeiro para bancar parte da transação.

É bom entender que Robinho conquistou benefícios no contrato com o Milan e mesmo abrindo mão de alguns deles, os valores da negociação para repatriá-lo seguem altíssimos.

Este não é um entrave exclusivo de Robinho mas de muitos jogadores de ponta que atuam na Europa e ganham salários que são estratosféricos. Quem volta precisa abrir mão de muita coisa.

“Abri mão de benefícios e comissões no Milan, aceitei uma significativa redução dos meus ganhos atuais, assim como, ainda, autorizei a utilização de minha imagem pelo Santos”, afirmou Robinho em nota oficial.

Uma pena que Robinho não coloque desta vez a camisa do Peixe para comandar ao lado de Leo, a nova geração dos “garotos da Vila”.

20130710-220238.jpg


‘Tem que chorar bastante’ para ter Robinho, diz presidente do Santos
Comentários 21

Leandro Quesada

A volta do ídolo não é uma operação simples. Ao contrário, muito longe disto. No ano passado, o Santos ficou perto, mas o Milan ao vender Pato ao Corinthians, brecou a saída de Robinho para a Vila Belmiro, por ordem do capo Silvio Berlusconi.

Agora, o Milan admite que o destino de Robinho é o Santos, por valores menores.

“O Santos tem conversado com Robinho e Milan. Vamos fazer as contas, pegar o contrato de três anos e ver se é viável. A torcida deseja Robinho e Robinho deseja o Santos mas devemos avaliar os valores“, explica o presidente do Santos, Odílio Rodrigues.

O Santos não pagará os 10 milhões de euros exigidos pelos italianos em 2012. Os números caíram para oito mas o clube da Vila tenta fechar em seis milhões, a serem desembolsados em algumas parcelas.

Os altos salários pedidos por Robinho foram desmentidos pelo dirigente: “Há um mal entendido aí, pois estávamos conversando com outros intermediários indicados por Robinho que apresentaram valores que consideramos excessivos e suspendemos a negociação. Então, Robinho colocou a advogada dele que está tentando a redução dos valores com o Milan e Robinho“.

Eu indago se precisa chorar para diminuir os valores do negócio, presidente? “Tem que chorar bastante (risos)”, completa Odílio.

20130708-215251.jpg


O vazio deixado por Neymar
Comentários 32

Leandro Quesada

A perda do principal craque do Brasil para o futebol da Europa deixou um vazio que não será, facilmente, preenchido. Não apenas pela capacidade técnica de Neymar, indiscutível e incomparável, mas o carisma de mover olhares, atenções e holofotes. Neymar deixa órfãos, os torcedores, os jornalistas e o próprio Santos.

E lembrar que na semana passada, vimos Neymar na seleção brasileira, trucidando a Espanha. O clássico entre São Paulo e Santos aumentou esta sensação de que está faltando algo. E está mesmo. Sem contar a ausência de Neymar, o “nosso futebol brasileiro” atravessa uma fase de raros talentos. Alguns jogadores não conseguem passar a bola e outros não acertam um mísero chute.

Para compensar a saída do astro, o Santos ensaia uma nova geração dos meninos da Vila. O zagueiro Gustavo é dono de boa presença de área, o atacante Giva mostrou o potencial ao fazer o gol no primeiro lance que disputou e Neilton tem velocidade e nenhum medo para fugir das pancadas dos rivais.

Claro que eles, sem o suporte dos jogadores mais experientes, não vão levar o Santos de volta ao caminho das vitórias. O lateral Leo acredita na nova geração mas pede “calma para não atrapalhar as carreiras dos novatos“.

20130707-210030.jpg


Não deu “liga” na parceria Ney Franco e São Paulo
Comentários 11

Leandro Quesada

Visto como um dos melhores técnicos da nova safra, Ney Franco tinha tudo para dar certo no São Paulo. No Tricolor ele encontraria o cenário perfeito: boa estrutura de trabalho com dois centros de treinamentos de primeira linha (Barra Funda e Cotia) e ainda o centro de recuperação de atletas (Reffis).

Em 79 jogos, Ney tentou emplacar o esquema com três atacantes mas a resposta não foi positiva. A seqüência esperada sempre emperrava em algumas atuações apagadas de Luis Fabiano, Ganso, Jadson e Lucas, quando este estava no time no ano passado. O time estava travado em campo, sem criatividade e velocidade. A defesa também bateu cabeça mesmo com as experiências dos pentacampeões mundiais Rogério Ceni e Lúcio.

O título da Copa Sulamericana amenizou a temporada passada que quase passou sem conquista. A vaga na Libertadores foi alcançada mas quando a competição começou neste ano, o Tricolor passou por apuros, perdeu para inexpressivos Arsenal e Strongest e apanhou três vezes do Atlético mineiro.

Nos bastidores, algumas crises de relacionamentos entre técnico-jogadores-diretoria contribuíram para a formação de um ambiente pesado.

Não deu “liga” entre Ney e o São Paulo (jogadores e diretoria).

O aproveitamento de Ney Franco em 79 jogos foi de 58,6% com 41 vitórias, 22 derrotas e 16 empates.

Entre ele e Muricy Ramalho, principal cotado no momento para reassumir o cargo, passaram outros treinadores:

Ricardo Gomes: junho/09 até agosto/10
73 jogos: 38 vitórias / 15 empates / 20 derrotas
59% de aproveitamento

Sérgio Baresi: agosto/10 até outubro/10
14 jogos: 5 vitórias / 4 empates / 5 derrotas
45,2% de aproveitamento

Paulo César Carpegiani: outubro/10 até julho/11
47 jogos: 30 vitórias / 4 empates / 13 derrotas
66,6% de aproveitamento

Adilson Batista: julho/11 até outubro/11
21 jogos: 8 vitórias / 7 empates / 6 derrotas
49% de aproveitamento

Emerson Leão: outubro/11 até junho/12
44 jogos: 26 vitórias / 6 empates / 12 derrotas
63,5% de aproveitamento

20130705-231854.jpg


Gobbi confirma doação de US$ 50 mil à família de Kevin
Comentários 36

Leandro Quesada

O presidente revelou que o Corinthians doará a quantia aos pais do garoto que faleceu após ser acertado por um sinalizador da marinha, disparado por um torcedor que estava na área destinada aos corinthianos, no estádio em Oruro, durante o jogo San José e Corinthians, pela Libertadores.

“O conselho do clube decidiu ajudar a família de Kevin. Este é o momento certo, depois de tudo que aconteceu. Vamos proceder da forma legal, passando pelo Banco Central. O valor é de 50 mil dólares”, confirmou Mário Gobbi.

Gobbi ainda se mostrou “confiante na liberação dos cinco torcedores que seguem presos” em Oruro.

20130704-004604.jpg
Kevin Espada, 14 anos, foi atingido por artefato e morreu na hora.