Blog do Quesada

Arquivo : maio 2012

Hooligans assombram final da Champions League
Comentários 4

Leandro Quesada

Por Arthur Quezada

Sábado, dia 19 de março, os olhares do mundo inteiro se voltarão para o estádio Allianz Arena, em Munique. A cidade alemã será palco da final da UEFA Champions League 2011/12 – principal competição de clubes da Europa. Chelsea e Bayern de Munique medirão forças, em apenas uma partida, para definir o melhor time do velho continente. 

Dentro das quatro linhas um espetáculo imperdível para quem tem o mínimo de apreço por futebol. Fora do campo de jogo, o “hooliganismo”, um problema crônico da Europa chama atenção de todos e preocupa as autoridades. O termo começou a ser associado ao esporte na década de 1960 no Reino Unido, mas, rapidadamente, espalhou-se pelo continente europeu. Os Hooligans são uma espécie de gangues que ao longo dos últimos 50 anos promovem brigas e confrontos usando o futebol como desculpa para tais atos. 

A final da UEFA Champions League deste ano coloca frente a frente um time alemão e outro inglês. Assim como referência de bom futebol, os dois países são considerados polos de incidentes com Hooligans. 

Em 1985, por exemplo, o Estádio de Heysel, na Bélgica, foi cenário de uma das maiores tragédias do futebol mundial. Liverpool, da Inglaterra, e Juventus, da Itália – dois timaços, diga-se de passagem –  tinham tudo para fazer uma final de Champions League inesquecível. No campo, vitória italiana, 1×0, gol do lendário meio-campista francês Michel Platini. Mas os eventos que sucederam a partida tornaram aquela final inesquecível em outro sentido. Um ataque brutal de Hooligans ingleses contra a torcida da Juventus ocasionou 38 mortes e dezenas de pessoas feridas. Como punição, os clubes ingleses ficaram cinco anos afastados da competição – o Liverpool foi punido por seis anos. 

O incidente foi a gota d’água para as autoridades inglesas tomarem medidas enérgicas contra o vandalismo nos estádios e desde então uma espécie de “Caça aos Hooligans” foi iniciada. Mudanças radicais na legislação britânica, com punições extremamente severas, controlaram os incidentes envolvendo os vândalos ingleses. 

Entretanto, os Hooligans estão longe de serem extintos. Em 2006, na Copa do Mundo da Alemanha, confrontos entre vândalos alemães e ingleses foram registrados durante a competição. Nos últimos anos, os atos de “hooliganismo” cresceram no leste europeu, estendendo a preocupação para a disputa da Eurocopa 2012, que será realizada na Polônia e Ucrânia. 

De fato, os Hooligans ainda assombram as competições européias. Esperamos que no próximo sábado, o único confronto seja dentro de campo, com um jogo para ser lembrado pelo bom futebol de duas grandes equipes, como deve ser.

*Arthur Quezada é jornalista e está na Europa acompanhando a final da Champions League.


Santos e Flu bailam em ‘noches argentinas’
Comentários 12

Leandro Quesada

Santos e Fluminense se deram mal em Buenos Aires. Nenhuma novidade ao não ser pelas performances dos dois times abaixo da crítica. Mas nada para achar que o mundo acabou, ao contrário, com derrotas por resultados magros que podem ser revertidos nos jogos de volta no Brasil.

O Flu perdeu por 1 x 0 para o Boca Jrs. e comemorou o resultado. A comemoração se explica pelos vários desfalques no time carioca e pelas várias chances que os argentinos desperdiçaram.

Diego Cavalieri salvou o Flu de uma goleada, em La Bombonera, casa dos xeneizes. O goleiro teve grandes momentos e fez defesas difíceis.

Também na capital argentina, no estádio José Amalfitani,  o Santos fez uma atuação apática, longe da realidade técnica da melhor equipe do Brasil. Neymar e Ganso nem pareciam Neymar e Ganso. Também pela frente estava um adversário forte tática e tecnicamente. O Velez venceu por 1 x 0.

Mesmo com as derrotas diante dos “hermanos”, eu aposto nas classificações de Santos e Flu para as semifinais da Libertadores.


Bayern x Chelsea: contagem regressiva para grande decisão
Comentários 5

Leandro Quesada

Por Arthur Quezada

A maioria dos clubes europeus está praticamente de férias. Os principais campeonatos e copas nacionais do continente chegaram ao fim. Uma temporada marcada por surpresas e títulos emocionantes, como a conquista do Manchester City, que depois de 44 anos se sagrou campeão da Premier League. A campanha avassaladora do Real Madrid, que com 100 pontos desbancou o Barcelona e faturou o caneco espanhol. O título impecável da Juventus, que de maneira invicta venceu o Campeonato Italiano. E o triunfo do Atlético de Madrid sobre o rival Athletic Bilbao, que garantiu o título da Liga Europa ao time da capital espanhola. 

Dentre todos estes títulos, ainda resta saber quem será o melhor time europeu da temporada 2011/12. Para conquistar a UEFA Champions League deste ano, Chelsea FC e Bayern de Munique se enfrentam neste sábado, às 15h45min (horário de Brasília). 

Os números dos dois times na competição são extremamente parecidos. Os alemães jogaram 14 vezes e somam 10 vitórias; um empate e três derrotas – com 25 gols marcados e 10 sofridos. Os ingleses, por vez, realizaram 12 partidas e contabilizam sete vitórias; três empates; e duas derrotas – com 24 gols a favor e 11 contra. 

Se neste ano as duas equipes possuem uma campanha parecida, historicamente, o Bayern de Munique leva uma vantagem enorme diante do rival. Os alemães faturaram 4 vezes a UEFA Champions League – a última conquista em 2001. Já o Chelsea tem como melhor colocação o vice-campeonato na temporada 2007/08. Não apenas a desvantagem histórica preocupa os ingleses. Apesar da vitória impressionante sobre o Barcelona na semifinal, o confronto com os catalães resultou em quatro desfalques importantes por suspensão, os titulares John Terry, Ramires, Ivanovic e Raul Meireles estão fora da final. Mas a campanha surpreendente, cautelosa e defensiva dos “Blues” parece ser a arma do técnico Roberto di Matteo para o confronto. Além disso, os ingleses precisam da vitória e do título para assegurar uma vaga na próxima edição da Champions – já que a equipe não conseguiu uma vaga pelo Campeonato Inglês. 

Pelos lados do Bayern, o otimismo tomou conta das ruas de Munique nesta semana. A equipe tenta repetir um feito que não ocorre desde 1965, quando a Inter de Milão conquistou a Champions dentro de seus domínios. Além da vantagem de jogar em casa, os alemães não possuem nenhum desfalque significativo e apesar do futebol, com características defensivas, apresentado ao longo da competição, o Bayern de Munique conta com um sistema ofensivo de respeito, com o francês Frank Ribery, o holandês Arjen Robben e o alemão Mario Gomez – vice artilheiro da competição com 12 gols. 

Por este fatores, os alemães podem ser apontados como ligeiros favoritos para o confronto. Mas de certo, podemos esperar uma final equilibrada e imprevisível – que virou febre em todas as manchetes dos veículos de comunicação europeus e se transformou no assunto principal nas ruas do velho continente.


A filosofia de Tite
Comentários 21

Leandro Quesada

O técnico encontrou uma forma de manter o elenco motivado e disposto na “briga” por lugar no time titular.

Quem está dentro sabe que apenas deslizes sérios podem custar a titularidade. Quem está fora da equipe tem a certeza de que uma hora a chance vai chegar. Justo, não?

Quem está em boa fase fica e perde a vaga apenas por motivo maior, uma contusão ou indisciplina, por exemplo. Já os reservas trabalham duro, na expectativa de conquistar o espaço.

Assim todos sabem que se não suarem a camisa não terão vida longa na equipe ou não encontrarão uma “vaguinha”. 

Vejo Tite, hoje, como um dos melhores técnicos brasileiros. A honestidade dele no trato com os jogadores explica em boa parte o sucesso do Corinthians. Não tem sacanagem, como se diz na gíria dos próprios boleiros.

Alessandro deixou a equipe contundido. Volta agora por causa da contusão de Edenílson, que fazia atuações de nível.

Júlio César perdeu o lugar no gol, depois de um momento ruim. Cássio virou o dono da posição.

Jorge Henrique saiu da equipe por causa de lesão e, recuperado, reassume o posto no lugar de William que não emplacou.

Liedson só está fora por questão de condicionamento físico.

A filosofia de Tite tem dado resultado até aqui. Todos ligados, trabalhando com afinco e cientes das obrigações profissionais.


CBF adota bom senso e libera santistas de Brasil x Dinamarca
Comentários 24

Leandro Quesada

E seria um absurdo, Rafael, Ganso e Neymar deixarem a Argentina na madrugada de sexta, após o jogo com o Velez Sarsfield, para seguirem para a Alemanha, onde a seleção brasileira faz amistoso, no sábado.

O bom senso imperou.

É desumano fazer isso com jogadores de futebol. Desrespeito com o mínimo de 72 horas exigidos na recuperação dos atletas.

Muitos já jogaram no intervalo de 48 horas mas diante de situação extraordinária, em evento importante. Não vale a pena submeter ninguém a esta situação, levando-se em conta, o caráter amistoso do duelo em terras alemãs.

Se fosse a partida válida por algum torneio – Copas América e Confederações – talvez a decisão de usá-los poderia ser compreendida. Valeria o risco, certamente.

Ganso, Neymar e Rafael não enfrentam a Dinamarca dia 26, mas seguem para os EUA, onde o Brasil faz três amistosos contra os americanos (30 de maio), México (3 de junho) e Argentina (9 de junho).


O Santos de Neymar é tri
Comentários 11

Leandro Quesada

Não foi a atuação dos sonhos do Santos. Defitivamente, não. E nem precisava depois da goleada obtida no primeiro jogo da decisão.

A conversa de Muricy Ramalho com os jogadores no intervalo da final do Paulistão surtiu efeito. O técnico cobrou mais seriedade depois dos sucessivos erros de marcação e falhas individuais contra o Guarani. “Falei firme com eles. Não gostei do que aconteceu no primeiro tempo. Não podemos atuar assim, sem atenção”, revelou.

O Santos ficou desplugado após o primeiro gol de Alan Kardec. Tudo foi muito rápido. Em sete minutos, o placar já apontava 2 x 1 para o peixe. No entanto, falhas grotescas de Rafael e Durval desestabilizaram o sistema defensivo santista. O time ficou nervoso, muito nervoso. 

O goleiro soltou uma bola fácil quando o placar estava 1 x 0. Já o zagueiro deu uma furada, também com o Santos na frente, 2 x 1. 

“Estávamos desorganizados naquele momento”, admitiu Edu Dracena. 

O Guarani teve inúmeras chances na etapa inicial mas a falta de qualidade na pontaria impediu a confecção de outros gols. 

No segundo tempo, o Santos administrou o jogo e ainda ampliou para 4 x 2, com Neymar e Alan Kardec. Neymar outra vez decidiu. Ele foi o craque e o artilheiro do torneio com 20 gols.

Na Libertadores, Muricy Ramalho terá de ajustar a defesa. Já na quinta, na Argentina, o encontro será com o Velez Sarsfield.


O tri do domingo
Comentários 9

Leandro Quesada

O tri do Santos virá neste domingo, por volta das seis da tarde, na capital paulista. Alguém duvida?

Nem mesmo o menos fanático torcedor santista e o mais exagerado bugrino acreditam em outro desfecho que não seja a conquista do título do peixe.

O placar imposto por 3 x 0 na primeira partida decisiva do Paulistão, praticamente, definiu o rumo final desta história.

A diferença técnica entre as equipes de Muricy e Vadão é enorme. Além das presenças de Ganso e Neymar, claro, craques do futebol brasileiro na atualidade. Talentosos, habilidosos, jovens, craques, brilhantes e inteligentes para fazer a diferença.

Mesmo se não estiverem em tarde inspirada, Neymar e Ganso decidem o jogo. Se estiverem, sai de baixo!

Mas como a velha máxima do futebol não nos deixa esquecer, o imponderável pode quebrar qualquer prognóstico óbvio e favorável ao Santos FC.

Então, deixemos o jogo ser jogado no Morumbi. 


Alex vê Santos de Neymar e Ganso acima dos outros
Comentários 11

Leandro Quesada

A dupla santista transforma o time de Muricy Ramalho no único com diferenciais na reta final da Copa Libertadores, na visão do meiocampista Alex, do Corinthians. “Não tem ninguém melhor do que ninguém, eu acredito. O time que tem algo especial é o Santos com Neymar e Ganso. Mas o restante é tudo muito equilibrado. Os resultados serão apertados daqui pra frente”, avaliou.

Com o Santos classificado, a chance de uma semifinal brasileira aumenta já que Corinthians e Vasco estão nas quartas. Uma final entre brasileiros também é possível com a permanência do Fluminense na outra chave: “Pode pintar uma final brasileira. Faltam seis jogos que parecem uma eternidade. Vivi isso no Inter em 2006, quando tínhamos a ansiedade e a vontade. Temos isso no Corinthians e vamos trabalhar bastante. Domingo, dia das mães, estaremos trabalhando”

Antes de pensar na final, no entanto, Alex salienta a decisão que o Timão terá nas quartas diante do Vasco da Gama. “O duelo comprova a qualidade de duas equipes que mantiveram a base. Elas são equlibradas. Os confrontos serão dificílimos para os dois”, prevê Alex.

“Acho que não se define nada lá no Rio. No segundo jogo, o emocional é diferente, não pode errar. Não tem outro jogo para buscar a reação. Fazer o primeiro jogo consistente, sem tomar gol é o objetivo. Assim, a gente vai ficar próximo de passar”, afirma o jogador corinthiano.


O Santos é dez
Comentários 32

Leandro Quesada

O Santos venceu por 8 x 0 o Bolívar, na Vila Belmiro.

Injusto placar (risos). O Santos poderia ter feito dez, onze, doze ou mais. Os bolivianos não viram a bola, ou melhor, viram oito vezes dentro do gol.

Os bolivianos são bons apenas nas alturas. Apenas. Ao nível do mar, nem pensar.

O Santos respeitou a fragilidade de um adversário fraquíssimo. Os jogadores foram obrigados a tirar o pé para não perder o pé, já que a goleada aborrecia o nervoso Bolívar.

Ao contrário da violência que sofrera no primeiro jogo, desta vez, o Santos bateu. Bateu bola, jogou futebol e goleou.

O Santos é um time nota dez. É o melhor time do Brasil e um dos melhores do mundo.

Ganso é um craque nota dez.

Neymar é um gênio nota onze.

Muricy Ramalho é um dos grandes técnicos do planeta.


Corinthians quebra a escrita, avança e pega o Vasco na Libertadores
Comentários 8

Leandro Quesada

Finalmente, o Timão alcança a próxima etapa do principal torneio de clube do futebol das Américas.

No ano passado foi eliminado pelo Tolima ainda na fase preliminar. Em 2010, perdeu para o Flamengo nas oitavas. Agora, passa pelo Emelec e encara o Vasco. 

Na noite desta quarta no Pacaembu, o Timão foi superior o tempo todo. Em nenhum momento os equatorianos ameaçaram a vitória por 3 x 0. Superioridade total do time de Tite.

Cássio esteve firme no gol, o sistema defensivo também na marcação, o lateral esquerdo Fabio Santos teve grande atuação, assim como Paulinho.

Nas quartas-de-final, o duelo será com o Vasco da Gama. Os cariocas perderam por 2 x 1 para o Lanús na Argentina no tempo normal. Nos pênaltes bateram os argentinos.

Primeiro jogo no Rio e o segundo em Sampa.

O campeão e o vice do Brasileirão do ano passado decidem vaga para as semifinais.