Blog do Quesada

Arquivo : fevereiro 2012

Domingo… Teixeira segue na CBF
Comentários 10

Leandro Quesada

É carnaval!!!

Os desfiles das escolas de samba, os bailes de salão e os blocos carnavalescos agitam o Brasil e tiram o foco dos assuntos importantes do país, como os da política e economia. Nenhum fato novo. Todo ano é assim.

É claro que o “balança mas não cai” de Teixeira é outro tema que foi esquecido no momento.

Depois da folia, certamente, a “queda” do presidente da CBF terá desdobramentos.

Medidor de tempo: Ricardo Teixeira completa três dias no cargo após a suposta renúncia.

E aí? Até quando ele suportará a pressão?


Hoje é sábado. Teixeira não vai cair?
Comentários 13

Leandro Quesada

Eu e boa parte da torcida brasileira esperamos a tal renúncia do presidente da CBF.

Medidor de tempo: Teixeira completa dois dias no cargo após o blefe da renúncia.

É carnaval!


Felipão acha dificil ter Wesley
Comentários 8

Leandro Quesada

Felipão conversou com o jogador em um encontro “casual” na Academia de futebol. O técnico ouviu de Wesley o desejo de jogar no verdão. Meio caminho está andado. O entrave – o resto que falta – é o dinheiro. “Acho difícil mas o Palmeiras está negociando. Vamos ver”, contou o pentacampeāo.

Os alemães cobram o Palmeiras no caso Wesley.

A proposta oficial foi aceita pelo Werder Bremen. O Palmeiras, no entanto, não cumpriu o pagamento da primeira parcela de 2 milhões de Euros.

Os alemães poderiam ter desistido do negócio ou mesmo interpelar o verdão na FIFA mas não tomaram nenhuma das duas atitudes. Ao contrário, deram mais alguns dias para o negócio ser concretizado.

O Atlético-MG manteve a proposta (menor – cerca de 4,5 mi de euros) para ter Wesley e espera que o Palmeiras não cumpra o que está no papel para fechar com o Werder.

O Palmeiras sugeriu adiar o pagamento da primeira parcela para mais tarde mas o time da Alemanha não gostou muito da ideia.


Eu disse… Chance de Teixeira renunciar é zero
Comentários 5

Leandro Quesada

Texto publicado no dia 14 de fevereiro neste blog. Dito e feito:

Chance de Ricardo Teixeira renunciar é zero

Esqueçam tudo que estão lendo sobre a saída de Ricardo Teixeira. Esqueçam! Teixeira não vai renunciar. Se ele cair, juntos irão alguns Governadores, prefeitos, deputados e outros políticos que o apoiam no posto durante anos.

Mas vamos lá! Uma coisa é notícia, fato. Outra é opinião, inferência, dedução. Colegas jornalistas transformam desejo particular em informação e são alimentados por fontes que têm outros interesses, contrários a permanência do mandatário-mor na CBF.

Se a remotíssima possibilidade da renúncia se concretizar, José Maria Marin assume a CBF no lugar deTeixeira. É o que reza o estatuto da entidade que indica o vice-presidente mais velho, como o substituto nesta situação.

Outra possibilidade, mais remota ainda, é a eleição com a participação das 27 federações estaduais de futebol e os 20 clubes que fazem parte da Série A, mas o pleito aconteceria apenas em 2014, quando termina o mandato atual.

Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians, Marco Polo del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, Marcelo Campos Pinto, diretor executivo da Globo Esporte, a filha de Teixeira, Joana Havelange e até Rodrigo Paiva, chefe de comunicação da CBF são nomes cotados.

O motivo da renúncia teria ligação com as investigações que Teixeira vem sofrendo no Brasil e no exterior. O todo-poderoso da CBF é acusado de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.


Santos e Corinthians foram vítimas desta nova ordem do futebol
Comentários 37

Leandro Quesada

Quem diria, heim! O futebol brasileiro se curvou aos inexpressivos times da Bolívia e Venezuela.

Em um tempo não muito distante, a questão era saber de quanto seria a goleada.

O tempo passou, o Brasil parou no tempo e os frágeis adversários cresceram.

Na noite desta quarta-feira, Santos e Corinthians foram vítimas desta nova ordem do futebol mundial. O Timão ainda conseguiu o empate heróico nos acréscimos. Heróico?!

Não venham com a desculpa surrada de 3.600 metros de altitude. A tal altitude existe desde que a Bolívia nasceu. O Santos perdeu por causa da ineficiência de finalização. E também por encontrar um futebol que não tem mais ingenuidade.

O Corinthians foi outro que teve enormes dificuldades na Venezuela. A bola não entrava de jeito nenhum até que Ralf igualou o placar.

O Flamengo empatou com o Lanús, da Argentina, um país rival e tradicional.

Moral da história: não vai ser fácil a vida dos brasileiros na Libertadores 2012.


Chance de Ricardo Teixeira renunciar é zero
Comentários 43

Leandro Quesada

Esqueçam tudo que estão lendo sobre a saída de Ricardo Teixeira. Esqueçam! Teixeira não vai renunciar. Se ele cair, juntos irão alguns Governadores, prefeitos, deputados e outros políticos que o apoiam no posto durante anos.

Mas vamos lá! Uma coisa é notícia, fato. Outra é opinião, inferência, dedução. Colegas jornalistas transformam desejo particular em informação e são alimentados por fontes que têm outros interesses, contrários a permanência do mandatário-mor na CBF.

Se a remotíssima possibilidade da renúncia se concretizar, José Maria Marin assume a CBF no lugar deTeixeira. É o que reza o estatuto da entidade que indica o vice-presidente mais velho, como o substituto nesta situação.

Outra possibilidade, mais remota ainda, é a eleição com a participação das 27 federações estaduais de futebol e os 20 clubes que fazem parte da Série A, mas o pleito aconteceria apenas em 2014, quando termina o mandato atual.

Andrés Sanchez, ex-presidente do Corinthians, Marco Polo del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol, Marcelo Campos Pinto, diretor executivo da Globo Esporte, a filha de Teixeira, Joana Havelange e até Rodrigo Paiva, chefe de comunicação da CBF são nomes cotados.

O motivo da renúncia teria ligação com as investigações que Teixeira vem sofrendo no Brasil e no exterior. O todo-poderoso da CBF é acusado de lavagem de dinheiro e evasão de divisas.


O Corinthians é senhor do jogo contra o nervoso São Paulo
Comentários 21

Leandro Quesada

Em muitos momentos o tricolor perdeu o controle emocional e exagerou na força. Erros de passes, disputas ríspidas, finalizações tortas e reclamações excessivas com a arbitragem marcaram a tarde infeliz do SPFC.

A falta de João Filipe em Jorge Henrique foi a imagem deste tricolor nervoso no Pacaembu. O lance provocou a expulsão do jogador. Wellington e Cícero também perderam a cabeça mas não receberam cartão vermelho.

Jorge Henrique irritou bastante os são-paulinos. Leão disse ter avisado os atletas sobre o comportamento do corinthiano.

O pênalti desperdiçado por Jadson foi outro exemplo de falta de equilíbrio. Na cobrança, o meiocampista mandou a bola para o tobogã.

O contraste do irritadiço São Paulo foi o “tranquilo” Corinthians. Senhor do jogo, o time de Tite não deu muitas chances ao tricolor de Leão.

Além de envolver o adversário com toques rápidos e precisos, os corinthianos mostraram vontade, algo que não pode faltar para quem vai disputar a Libertadores.


O fim da era Andrés Sanchez
Comentários 32

Leandro Quesada

Ele foi o mais eficiente presidente da história do Corinthians em 101 anos de vida do clube. Em quatro anos de gestão, a entidade deu o salto de qualidade como nunca acontecera.

Se tivesse trazido “apenas” Ronaldo como fez em 2009 já teria escrito o nome dele nas grandes realizações do Timão. Com Andrés no comando, o time voltou à elite do Brasileirão, conquistou os títulos do Paulistão, da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro. Faltou a Libertadores, no entanto, o objeto de desejo da Fiel.

Faltou também aproveitar melhor os jogadores das categorias de base, algo que será compensado com o novo centro de treinamentos para a garotada.

Fora de campo, as maiores conquistas.

O patrocínio de 60 milhões de reais para a camisa do time foi um marco na relação de um clube com a publicidade. Muito por conta da sociedade entre Corinthians e Ronaldo, que atraiu a mídia como jamais se viu.

A construção do centro de treinamentos e hotel no Parque Ecológico deu ao time uma estrutura de trabalho de primeiro mundo. O médico Joaquim Grava foi o “engenheiro” do projeto.

E a maior tacada de todas: a obra para erguer o estádio em Itaquera, a nova casa do Timão, palco da abertura da Copa do mundo de 2014. Um golpe de mestre!

O contrato de direitos de transmissão de TV dará ao clube 120 milhões de reais na primeira temporada. Andres ajudou a implodir desta forma o Clube dos 13 ao negociar, diretamente, com as emissoras.

Na pele de presidente do Corinthians, ele ganhou amigos e arranjou muitos desafetos. Dos desafetos, o colega Juvenal Juvêncio é o principal. Das novas amizades, a mais forte é com Ronaldo.

A proximidade com Ricardo Teixeira, presidente da CBF, as negociações com a Globo, a relação com outros “cartolas”, concederam a Andrés o “status” de poderoso dirigente. Durante a Copa da África do Sul, o chefe da delegação brasileira, ficou mais perto do poder. Mais perto de Blatter e da FIFA. Ele soube aproveitar o “network”.

No Corinthians, Andrés soube delegar poderes, talvez aí o seu maior mérito no quesito relacionamento. No futebol, com o apoio de Gobbi, Roberto Andrade, Duilio Monteiro e Edu Gaspar. Nas finanças, Raul Corrêa. No Marketing, com Rozemberg e Caio. Na parte jurídica, Santoro e Alvarenga.

Uma nova era começa hoje no Corinthians, com a definição do sucessor. Andrés não estará mais no cotidiano corinthiano. O novo presidente encontrará, certamente, um clube mais preparado para os desafios que virão.


Com evolução, Adriano crava vaga na Libertadores
Comentários 7

Leandro Quesada

Tite ainda não desfez o mistério sobre a inscrição de Adriano na Libertadores. Oficialmente, não confirma se o imperador estará no elenco na primeira fase do torneio. Os elogios do treinador, no entanto, são o indício de que o atacante será mesmo inscrito.

Faltam dois dias para a divulgação da lista de 25 atletas. A expectativa aumenta.

A questão é se a evolução desta semana, em que está “internado” no CT Joaquim Grava, já é suficiente para o atacante ganhar a confiança do técnico.

É óbvio que em dois dias a melhora no aspecto fisico não será significativa.

Tite, a comissão técnica e a cúpula de futebol do Corinthians vão correr o risco de apostar em Adriano. Talvez a última chance dele no Pq. São Jorge.


Assessorias divergem e debate dos candidatos do Corinthians não avança
Comentários 8

Leandro Quesada

A ideia de realização do debate entre os candidatos ao cargo de presidente do Corinthians foi lançada por Paulo Garcia, da chapa da oposição, durante o Esporte em Debate da rádio Bandeirantes, da última segunda-feira.

Em tom de desafio, Garcia sugeriu uma discussão cara a cara com Mario Gobbi na sede da OAB, a Ordem dos Advogados do Brasil, na capital paulista.“Gostaria que ele fosse, mas sei que não vai. Quero saber qual é a história dele no clube para ser presidente. De onde vem o dinheiro da campanha dele? Ele vai manter Adriano no elenco e Tite será o técnico?”, questionou.

Gobbi ao saber do “desafio”, também em entrevista à rádio Bandeirantes, respondeu: “Sim, claro que vou, com muito prazer. Vamos falar de Corinthians. Sou formado em direito pela Universidade Mackenzie, partidário da democracia e da liberdade de expressão”.

Eu conversei com Alexandre Vitor, do departamento cultural da OAB para esclarecer a polêmica. “Fomos procurados pela All TV para ceder o espaço e realizar o debate. Confirmamos o pedido mas depois disto não fomos mais procurados por ninguém”, explicou.

A All TV, emissora de Tv pela internet, apresentaria o debate ao vivo.

As duas assessorias discordaram sobre o encontro dos candidatos o tempo todo.

Carlos Arruda, da Comunicação+, me confirmou que o candidato da oposição “não tinha entregue nenhum ofício à OAB, evidenciado que o tal debate nunca foi organizado e que não se trata de coisa séria”.

Wagner Eufrosino, da S/A Comunicação reagiu: “Gobbi não quer o debate. Está na cara que ele está fugindo. A gente fez o pedido mas não teve a resposta. Acho que agora já era. Não tem mais tempo”.